Suricate

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Bichinhos Carpinteiros




 

Ele: "Páááára quieta! Senta-te!"
Eu: " Mas eu..."
"Tu nada, está quieta, fuma o teu cigarro sossegada!"
(sim, não sou politicamente correcta, eu sei que hoje em dia parece mal, mas não vou aqui fazer de conta que não é verdade, ou não falar em fumar por ficar "mal vista")
 "Mas.."
Ele: "Sim, sim, eu sei que és perfeitamente capaz de fazer três ou quatro coisas ao mesmo tempo, mas senta-te um bocado quieta! Aliás, graças a Deus por essa vossa capacidade, porque nós (os homens) é mesmo só uma de cada vez. É graças a vocês (mulheres) que tudo funciona muito melhor e mais rápido!"
 
...rendida, sentei-me, quieta:
"É verdade!" Balbuciei baixinho...e fiquei a pensar com os meus botões:
"É impossível não gostar de um Homem assim!"

Silly Season...ou temporada da parvoíce em bom português!

Quando não há mais nada para fazer ou dizer interrompe-se a emissão e transmite-se em direto em vários canais televisivos ao mesmo tempo, a chegada de um jogador de futebol a Lisboa. Devem ter descoberto que a grande maioria de sportenguistas não foi de férias e então resolveram apimentar o share das audiências na grande cidade...pergunto-me:
 
Será que fizeram o mesmo quando chegou a Jessica Augusto?!
 
Medalha de Bronze nos Europeus Atletismo de Zurique 2014

Há uma idade para deixar de dar mimo?






















Não.
Eu e as minhas meninas já temos tudo planeado...tenha eu a idade que tiver, o meu colinho há-de estar sempre disponível para elas, tenham elas a idade que tiverem. Mas uma coisa é a teoria, outra a prática. Tentando sempre ser pragmática, tento estar preparada para as mudanças que o seu crescimento trás, naturalmente, aos seus comportamentos, sei que estou preparada para o dia em que as minhas manifestações de carinho comecem a ser um incómodo, sinto-me até pronta para o impacto de lhes sentir uma certa "vergonha" pala minha presença junto das amigas e dos amigos.
 
Ontem a propósito da ameaça de uma dor de barriga, dava eu colinho à mais novinha e:
"Ai Mummy, não é por seres minha mãe, nem nada, mas a sério, o teu colo tem qualquer coisa de mágico, as dores passam todas e eu não sei mesmo porquê..."
Limitei-me a sorrir e a embalá-la um pouco mais...até que:
 
"Sabes Mummy, se os meus colegas me vissem agora..."
(eu pensei, ok Suri, prepara-te...é agora que ela te vai dizer que já não tem idade para isto!)
 "...iam a correr para o colo das mães deles...porque iam querer um igual!"
 
 

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

O dia (de trabalho) chegou ao fim...e eu sabia que ia acabar assim!

Mr. Bean...só tu me compreendes!

A todos quantos tentaram estragar-me o dia,
mas não conseguiram...
o meu muito obrigada!
Eu também gosto muito de vocês!

...Agora vou indo...tenho uma vida à minha espera.


O dia ainda só vai a meio...

 
 
"Olhe, Olhe! Faxabor!!!!"
 
...eu olho, vejo duas miúdas a abanar uma máquina fotográfica na minha direção...
 
"Tira-nos uma Selfie?!?!?"
 
...momento wtf ?!?!?!?!...

O dia ainda só está a começar...

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aproximo-me (com o carro) do acesso ao parque de estacionamento, dois adultos e duas crianças atravessam-se-me à frente do referido acesso na diagonal à vez, à vez, na maior das calmas pelo meio da rua, em vez de optarem pelo passeio. Dou sinal de luzes e uma pequena buzinadela para que percebam que estou à espera...quando finalmente me aproximo da barreira, já se encontra toda a gente em cima do passeio, volto a buzinar e atraio a atenção de um dos adultos que vem atrás falar comigo. Explico (como se fosse preciso!) que não é suposto bloquear daquela maneira o acesso ao parque e que só tinha buzinado para apressarem o passo...resposta que ouvi:
 
"Ahhhhh...pois é,  mai que son estranjêrus...num comprendem..."

Com esta resposta fiquei a pensar que lingua estrangeira falará o meu carro...qual terá sido a parte que não entenderam, as luzes ou a buzinadela?!
 

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Infalível!

Apercebes-te da quantidade de gente que não gosta de ti se somares a quantidade de sorrisinhos azedos que não conseguem disfarçar a satisfação perversa que sentem, quando te vêm de volta ao trabalho e exclamam aliviados:
 
"Então...já acabou?!"